“informa

Notícias

Sistemas construtivos permitem “mais em menos tempo”

Destaque para as as paredes de concreto, que ocupam cerca de 50% das obras do Programa Minha Casa, Minha Vida. Esta e outras tendências potencializam o setor com métodos construtivos que garantem ganhos na produtividade, diminuição nos prazos e sustentabilidade sem perder a qualidade.

O boom imobiliário e o fervor na habitação popular com o Programa Minha Casa, Minha Vida vividos pelo setor da construção civil entre 2010 e 2014 impulsionou o aprimoramento dos sistemas construtivos no País. Com prazos para a execução de obras menores e a preocupação crescente com os impactos ambientais, as empresas começaram a buscar, cada vez mais, novas técnicas para construir. Hoje, com a desaceleração da atividade construtiva em razão da crise, o desafio é maior, mas segundo especialistas, o potencial também.

De acordo com o diretor de comunicação da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), Eng. MSc. Hugo Rodrigues, entre as tendências mais atuais em sistemas construtivos à base de concreto para a habitação e obras de infraestrutura os destaques ficam por conta da parede de concreto e o pavimento permeável. O processo rápido para produção em larga escala e em curto prazo faz da parede de concreto, por exemplo, uma alternativa eficiente para a execução de unidades habitacionais populares.

A parede de concreto é moldada in loco com o uso de fôrmas - metálicas, plásticas ou alumínio - montadas de acordo com o projeto estrutural e preenchidas com concreto. Após o endurecimento do concreto as fôrmas são retiradas. “A parede de concreto detém aspectos como reciclabilidade e durabilidade, e ainda traz ganhos na produtividade pela agilidade na execução que já incorpora subsistemas como o elétrico, hidráulico, caixilharia e outros, durante o processo construtivo”, afirma Rodrigues.

Segundo o diretor de comunicação da ABCP, atualmente as paredes de concreto ocupam cerca de 50% das obras do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). O que é uma boa notícia para as construtoras adeptas ao sistema construtivo, já que no último mês o governo federal anunciou a continuidade do programa MCMV com o investimento previsto de R$2,1 bilhões para projetos em 77 municípios.

Já o pavimento permeável é um sistema sustentável que auxilia no combate às enchentes e alagamentos, uma vez que permite a infiltração da água no solo. São constituídos por peças permeáveis drenantes de concreto poroso e/ou peças intertravadas de juntas alargadas em concreto. “Tanto as paredes de concreto quanto o pavimento permeável são técnicas que apesar de recentes no Brasil, já são muito utilizados no exterior”, afirma o Rodrigues.

Tendências - A modernização e industrialização dos sistemas construtivos, que passa pela evolução do concreto, será amplamente debatida no principal encontro de profissionais deste setor, o Concrete Show. De acordo com consultor da Associação Brasileira de Empresas de Serviços de Concretagem (ABESC), Arcindo Vaquero Y Mayor, o esforço das empresas de concretagem é trabalhar para aperfeiçoar o uso do concreto como um todo.

“Um exemplo é o cimento que cada vez gera menos gases de efeito estufa em função de sua composição e geração de energia via co-processamento. A frota dos associados da ABESC também vem sendo renovada com motores mais eficientes e silenciosos (EURO 5) e equipada com rastreadores que otimizam o percurso até as obras”, afirma.

Outra tendência que segue a ideia de impulsionar o setor para o ganho de produtividade é o concreto auto-adensável empregado tanto em pré-moldados como em pré-fabricados, para as aplicações de concreto no local. “Esse tipo de concreto é mais fluído e tem a aplicação mais rápida e silenciosa, uma vez que não necessita ser adensado com vibrador. Também contribui - se bem dosado - para evitar futuras patologias como as fissuras e trincas”, ressalta o consultor da ABESC.

Pensando na fabricação do cimento, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) em parceria com outras entidades nacionais e internacionais deve concluir ainda em 2017  o Mapeamento Tecnológico do Cimento. “É uma iniciativa para indicar os potenciais avanços tecnológicos a longo prazo capazes de reduzir emissões de carbono, considerando eficiência energética, combustíveis alternativos, adições ao clínquer e captura de carbono. É uma contribuição para identificar ações que a indústria de cimento poderá adotar com a finalidade de acelerar o progresso do desenvolvimento sustentável”, conclui Rodrigues. 

Representantes das associações ABCP e ABESC estarão na 11ª edição do Concrete Show South America, que acontece de 23 a 25 de agosto no São Paulo Expo, ministrando seminários direcionados para atualização de profissionais que atuam na construção civil. Os seminários que fazem parte do Concrete Congress, realizado em paralelo à feira de negócios, irão abordar temas como: “Paredes de Concreto” (organizado pela ABESC) e “Aplicações Práticas no Desempenho das Edificações” (organizado pela ABCP), entre outros.

Fonte: Conteúdo Empresarial

Associada à

ubm white 2

 

 

Newsletter

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
E-mail Inválido
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida