Logo_siteLogo
Logo_siteData

Novas oportunidades para o avanço da tecnologia na construção 

 

Edital da Finep de R$ 50 milhões oferecerá apoio a projetos de inovação; Tecnologia 4.0 para o setor da construção pode revolucionar o canteiro de obras

A construção civil é um dos principais motores da economia no Brasil e no mundo, responsável pela geração de milhões de empregos diretos e indiretos. Portanto, é um setor desafiado continuamente pela busca de melhores níveis de eficiência, competitividade e produtividade. Neste sentido, as inovações em tecnologia tornaram-se indispensáveis para revolucionar o canteiro de obras e toda a cadeia ligada à construção.   

Com o intuito de fomentar a pesquisa e o desenvolvimento da tecnologia 4.0, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) lançaram, no último mês, um edital de subvenção econômica, no valor de R$ 50 milhões, para apoio a projetos de inovação envolvendo essas tecnologias. Em uma live do Assuntos Concretos, projeto de conteúdo nas redes sociais do Concrete Show South America -  evento que reúne em São Paulo toda a cadeia produtiva do cimento, concreto e da construção civil na América Latina -, o gerente do Departamento Regional do Sul (DSUL) e Superintendência de Inovação da Finep, João Florêncio, explicou como funcionará a seleção e a importância para a construção civil. 

“O objetivo do edital é habilitar o Brasil no desenvolvimento de tecnologias 4.0, porque o país precisa ser mais competitivo globalmente em termos de tecnologia e menos dependente das inovações vindas do exterior. Por essa razão, a seleção é focada exclusivamente na criação das tecnologias 4.0 e não na implantação”, afirmou Florêncio.  
 

Leia mais: Acelerando obras e entregando imóveis antes do prazo: como ser ágil sem deixar a eficiência de lado 


Ele destaca que o edital contempla quatro áreas temáticas: Agro 4.0 (agricultura, pecuária de precisão e sistemas transversais à agricultura e pecuária), Cidades Inteligentes (logística urbana, segurança pública, saneamento ambiental, e monitoramento de desastres naturais); Indústria 4.0 (processos 4.0, virtualização de ambientes, e máquinas e equipamentos 4.0); e Saúde 4.0 (sistemas de predição, monitoramento remoto, telemedicina, gestão hospitalar, e prevenção e controle de epidemias).  

“Serão aplicados R$ 15 milhões nos temas Agro 4.0, Indústria 4.0 e Saúde 4.0, e R$ 5 milhões nos temas relativos a Cidades Inteligentes. Podem candidatar-se empresas brasileiras com faturamento, em 2019, superior a R$ 360 mil”, explicou Florêncio, que acrescentou: “O valor mínimo da subvenção, por projeto, é de R$ 500 mil e o máximo, R$ 5 milhões e será obrigatória a apresentação de uma contrapartida financeira”. Para o gerente do Departamento Regional do Sul (DSUL) da Finep, a oferta de tecnologias 4.0 no mercado beneficia, principalmente, a produtividade e a segurança no setor de construção civil.  

“Softwares de BIM (Building Information Modeling), que promovem a interação rápida em todos os envolvidos na obra e a manufatura 3D, com a produção de peças específicas dentro do próprio canteiro, são alguns exemplos de tecnologias que aumentam a produtividade. No quesito de segurança, sensores e outros mecanismos para o controle de acesso a áreas de risco e o uso de equipamento de proteção individual dentro do canteiro de obras”, explicou.      

Segundo ele, o desafio para empresas brasileiras em geral é a interação no mercado para saber onde buscar as iniciativas de inovação de tecnologia 4.0. Outro entrave é o retorno financeiro.

“Os recursos destinados à inovação são investimentos de médio e longo prazos. Neste ponto, o Finep é um aliado, porque temos várias linhas de crédito com taxas reduzidas de 5% a 8% ao ano e com carências de dois a quatro anos. Ou seja, tempo suficiente para implantar a tecnologia e ter retorno financeiro para a amortização”.     

Florêncio lembra que a Finep concede recursos reembolsáveis e não-reembolsáveis a instituições de pesquisa e empresas brasileiras. O que pode beneficiar também as startups voltadas para a construção, construtech, já que a financiadora oferece linhas de apoio específicas com valores de até R$ 1,2 milhão.  


Mais informações do edital de subvenção econômica  

As propostas de submissão de projetos de inovação referentes às tecnologias 4.0 devem estar acompanhadas de um Plano de Negócios contemplando o planejamento em todas as fases, considerando a estratégia, descrição, planejamento e execução dos investimentos produtivos, desde as etapas de pesquisa e desenvolvimento, até a inserção no mercado e comercialização de produtos. 

As propostas deverão contemplar ao menos uma tecnologia habilitadora, tais como 5G, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, Robótica Avançada, Computação em Nuvem, Realidade Aumentada ou Manufatura Aditiva. Serão apoiados projetos que apresentem níveis de maturidade tecnológica de 3 a 7, os chamados TRLs (Technology Readiness Levels).  

Essas propostas deverão ser encaminhadas à Finep/MCTI por meio eletrônico até o dia 30 de julho, quando se encerra a chamada do edital. Para isso, é necessário preencher o Formulário de Apresentação de Proposta (FAP), disponível no site da Finep. O resultado preliminar está previsto para meados de outubro deste ano, ao passo que o resultado final, considerando a análise de recursos, a partir de novembro próximo. 

Quer saber mais sobre a revolução 4.0 no setor da construção civil? Acompanhe as redes sociais da Concrete Show e visita nossa seção de notícias para se inteirar das novidades do segmento. 

 

Serviço: 
Live: Subvenção econômica à inovação: Tecnologias 4.0 
Data de realização: 03/07/2020 
Link de acesso à live completa: https://youtu.be/0YGq-tX8SRQ